Segurança corporativa: como montar um plano de contingência

O plano de contingência é uma estratégia importante de segurança corporativa. Veja mais!

Muitos gestores deixam de investir em um plano de contingência dentro da estratégia de segurança corporativa por julgar que esta ação não trará grandes resultados e só servirá para perder tempo e esforços. No entanto, este planejamento é essencial.

Afinal, a partir do plano de contingência, é possível definir como agir em caso de situações imprevistas e incidentes que causem a paralisação das operações da empresa, como ataque cibernético, incêndio, invasão, vandalismo, roubos de maquinários, entre outros.

Assim, com este planejamento, as equipes de segurança e demais funcionários envolvidos podem se preparar para tomar as devidas ações em um momento de dificuldade, como os exemplos citados acima.

Para melhorar a compreensão sobre o que é o plano de contingência, qual sua aplicação nos negócios e quais as vantagens de implementar a estratégia, desenvolvemos este conteúdo.

Leia também: Conheça os principais recursos da segurança patrimonial para a sua empresa

O que é o plano de contingência na prática?

O plano de contingência empresarial é uma ação que ajuda a reforçar a proteção e a segurança corporativa da marca. Isso porque trata-se de um planejamento preventivo e alternativo para intervir em eventos que afetem a operacionalidade e as atividades normais da empresa.

Em outras palavras, ele estabelece procedimentos de segurança a serem observados e adotados para a recuperação dos ambientes empresariais. O que vale tanto para as instalações físicas quanto para sistemas, softwares e hardwares.

Dessa forma, é possível minimizar os danos e os impactos causados por incidentes que não puderam ser evitados pelas medidas de proteção em vigor. Sua principal função é ser a pronta resposta da empresa para as ocorrências.

Então, todos os profissionais devem estar capacitados e treinados para executar o plano com os procedimentos de restauro da operacionalidade. Além disso, é preciso usar as práticas adequadas de comunicação, coordenação e organização para lidar com as questões de recursos humanos, institucionais, financeiras etc.

Como funciona o plano dentro da segurança corporativa

Como comentamos no início, muitas empresas nem se preparam com antecedência para a possibilidade de um evento adverso, porque acreditam que este tipo de incidente nunca irá acontecer com elas. No entanto, são inúmeros os casos de sérios prejuízos em negócios que não tinham um simples plano de contingência.

Então, como os riscos existem, a segurança corporativa deve estabelecer esse plano de contingência de modo claro, conciso e completo com as ações diante das ocorrências, sinistros, perdas e/ou danos.

Vale destacar que tais riscos vão além de atitudes criminosas, abrangendo também desastres naturais e erros humanos. Até por isso, esse planejamento deve atender a todos os requisitos operacionais.

Como resultado, a segurança corporativa estará pronta para atuar em todos os cenários, auxiliando para que não ocorram problemas críticos e fazendo com que os processos da empresa voltem a funcionar plenamente o mais rápido possível

Saiba mais: Segurança patrimonial: 8 práticas para adequar o controle de acesso

Quais os benefícios de ter um plano de contingência?

Com todo este contexto apresentado, fica claro que o plano elaborado pela segurança corporativa pode gerar inúmeras vantagens para os negócios, desde o maior conhecimento sobre as questões internas até a minimização de impactos. Veja os principais benefícios:

  • Mapeamento de riscos, ameaças e vulnerabilidades;
  • Identificação de processos e recursos críticos que, se atingidos por um incidente, podem paralisar toda a empresa e interromper as atividades;
  • Garantia da continuidade do negócio;
  • Preparação para situações inesperadas e/ou indesejadas;
  • Redução e até eliminação de danos.

5 passos para a segurança corporativa criar o plano de contingência

Para que o plano seja efetivo e traga resultados, é preciso atender a uma série de requisitos. Então, veja como desenvolvê-lo em um passo a passo simples e prático:

1. Identificação e avaliação dos riscos

O primeiro item é mapear os riscos que possam afetar o funcionamento da empresa, como furtos, invasões, assaltos, quedas de energia, acidentes, fenômenos naturais, paralisações, entre outros.

2. Definição de estratégias

Diante da ocorrência de cada risco, deve-se estabelecer as ações necessárias para minimizar os impactos. É importante também considerar cada situação e seu nível de gravidade, indicando estratégias mais adequadas e assertivas.

3. Destinação de recursos

Com os riscos e as estratégias prontas, é preciso estipular os recursos disponíveis para atuar de forma eficiente, como a equipe de segurança corporativa dedicada, os equipamentos, a logística, os meios de comunicação e até as tecnologias

4. Organização e treinamento

Com toda a organização de atividades necessárias para a implementação do plano, envolvendo os recursos humanos, materiais e administrativos, fica definido o trabalho e a responsabilidade de cada profissional.

E, para que todos saibam como agir com rapidez, eficiência e seguindo os procedimentos, deve-se fazer a divulgação do plano e o treinamento da equipe.

5. Avaliação do desempenho e resultados

Para saber se o plano é efetivo e vai garantir os objetivos esperados, é essencial fazer uma avaliação do desempenho e verificar os resultados. Para isso, nada melhor do que realizar simulações de situações. Assim, é possível notar a qualidade do protocolo estabelecido e pontos de melhoria.

Conte com um parceiro especializado

Para garantir os melhores processos de segurança corporativa na sua empresa, conte com um parceiro especializado, com conhecimento e experiência de mercado.

A Resolv possui soluções de segurança corporativa com projetos personalizados, que englobam o planejamento completo da estratégia, a análise de riscos e ferramentas tecnológicas integradas.

Com isso, podemos ajudar o seu negócio a estar pronto para os mais diversos tipos de incidentes, garantindo uma pronta resposta e minimização de danos. Atuamos com:

  • Central de Controle Operacional
  • Manuais de procedimentos
  • Central de alarme integrado com imagens
  • Controle de cobertura de postos por biometria
  • Rondas virtuais por imagens
  • Checagem on-line das rondas

Quer saber mais detalhes? Entre em contato agora mesmo com nossos especialistas

Gerenciamento de riscos: tudo o que você precisa saber
O gerenciamento de riscos evita que a empresa seja prejudicada por possíveis problemas. Saiba mais!
Saiba mais
7 dicas para promover a segurança do trabalho
Investir na segurança do trabalho é uma estratégia fundamental para as empresas evitarem acidentes.
Saiba mais
Por que terceirizar a segurança patrimonial é essencial nos centros logísticos?
A segurança patrimonial é uma estratégia essencial para os centros logísticos reduzirem os custos.
Saiba mais